Resultados – Hard in Help 2021 define campeões da 5ª edição

Mais de 100 pilotos e um só objetivo, completar a maratona de dois dias de provas e se possível chegar à frente. Ao cruzar a linha de chegada, a sensação de dever cumprido, lágrimas e superação, além do prêmio de campeão para os vencedores de cada categoria.

Uma verdadeira experiência em duas rodas, uma prova memorável que teve as montanhas de Socorro (SP) como palco. Apesar do calor e do sol escaldante dos últimos dias, as nuvens ameaçaram mudar o clima jogando água nos planos dos pilotos, mas ficou só na ameaça e ainda serviu para amenizar a temperatura, que foi um adversário extra para os competidores.

Quem superou o Prólogo e o Moto x Moto de ontem e se recuperou para este domingo (05/12) encontrou trilhas exigentes em técnica e outras habilidades que apenas os pilotos do mais alto nível possuem. A opinião dos participantes foi unânime, Benê Coser e Rodrigo Zuccon organizaram a melhor corrida do ano, desde a infraestrutura até o percurso e o próprio formato da prova, diferente dos anos anteriores. Os pilotos elogiaram cada detalhe, cada dificuldade que cruzaram pelo caminho, as marcações que orientavam por onde cada categoria deveria seguir, tudo foi montado de forma perfeita e no mais alto nível para a última prova do ano.

A 5ª edição do Hard in Help reuniu 105 pilotos que se dividiram em 5 categorias, sendo 10 pilotos na Gold, 16 na Silver, 33 na Bronze, 28 na Iron e 18 pilotos na Nacional. Grande campeão na Gold, Rígor Rico declarou após receber a bandeirada final. “Pra mim foi muito bom retornar pra Socorro, é meu quinto ano aqui, minha quarta vitória já que ano passado tive problemas e fiquei em terceiro. Me sinto feliz em reencontrar a vitória, ainda mais em um evento magnifico como esse, onde a cada ano a gente vê a evolução da prova. Achei o  formato do prólogo muito legal, dei uma erradinha e fiquei em segundo no sábado, mas foi um resultado bom — perdi pro meu amigo Dudu que é da minha cidade, então é uma derrota mais tranquila rsrs. Eu não treino prólogo, inclusive vou mudar isso pro ano que vem. Mesmo assim não me abalei, sabia que conseguiria impor um ritmo forte nas trilhas hoje, afinal é o que eu gosto e me dedico. Consegui largar bem, liderei as 5 voltas, fiz uma prova muito boa, apesar do percurso ser bem desgastante. O calor estava demais, a gente foi dando volta nos outros pilotos e tendo contato com as outras categorias, consegui uma boa vantagem e nas últimas voltas só administrei. Saio daqui com a vitória e tô muito feliz, esse foi um ano perfeito pra mim, campeão brasileiro, campeão do HEBS, invicto no Brasil, fiz ainda algumas provas internacionais e representei o país no Romaniac’s onde fui 18º, só tenho a agradecer!”.

Subiram ao pódio na categoria Gold, Rígor Rico (#1) KTM Racing Team, que completou a prova em 2h37min57.000seg, na segunda colocação, Eduardo Furtado (#10) com tempo de  3h05min19.680seg e, em terceiro lugar, Bruno Lima Ferreira (#3) Renegados do Hard que levou  3h38min36.000seg até a linha de chegada.

Grande campeão na categoria Silver, Rodrigo Dias disse que “a prova foi sensacional, tudo perfeito, senti como se tivesse uma leve vantagem, parecia que estava andando em casa, por conta do terreno ser muito parecido com o de onde eu moro, em Poço Fundo, sul de Minas. A prova foi muito bem organizada, prólogo sensacional, corrida muito bem marcada e o nível de dificuldade bem bacana, sendo o ‘morrão’ a cereja do bolo.”.

Na categoria Silver, além do vendedor, Rodrigo da Silva Dias (#113) Poço Fundo Team, que completou a prova em 2h45min54.630seg, Raul Guilherme Reijers (#114) Tranqueiras Racing subiu no pódio em segundo lugar e tempo de 3h29min24.990seg, seguido pelo terceiro colocado, Pedro Pietro (#111) GuaruHard, com 3h58min44.290seg.

Campeão na categoria Bronze, Evandro Paiva Moreira Junior (#209) Sem Limite, comentou ter sido “a melhor etapa do campeonato, extremamente organizada e com trilhas perfeitas.”. Para garantir a vitória na categoria com o maior número de inscritos, o piloto impôs seu ritmo e completou a prova em 2h25min49.860seg. Olavo Souza Sá (#227) Rôia Bull, ficou em segundo lugar com o tempo de 2h32min39.090seg. “Foi uma prova muito divertida, é meu primeiro ano participando do campeonato e consegui fazer todas as etapas graças ao apoio de toda minha família. Sem dúvida uma prova muito difícil, muito técnica e cansativa, mas com a soma de resultados, treino e dedicação eu consegui a segunda colocação e estou muito feliz com o isso.”. Na terceira posição, Davi Vila (#232) deu tudo que podia na pista. “Foi um desafio muito grande, o primeiro dia com o prólogo e a corrida externa de hoje, que era a mais esperada e também a mais difícil, foram muitas horas, muitas voltas, mas no final valeu muito a pena“. Davi completou a prova em 2h43min41.050seg.

Grande campeão na categoria Nacional, Ederson Vinicius de Souza (#311) Trilha da Laje superou os desafios da prova e cruzou a linha de chegada em 2h39min54.610seg, acompanhado com folga pelo segundo colocado, Junior Xavier (#315) Louco por Trilhas Classe A, que levou 2h55min48.880seg para cumprir o trajeto. Mikael Cristian (#313) foi o terceiro na categoria e fez o tempo de 3h09min41.560seg. Adriano foi o quinto melhor com 3h15min30.500seg e disse: “A prova estava muito boa, exigente, técnica, muito bem marcada e o sol foi um ‘Q’ a mais pra gente disputar e dar conta de acelerar, ano que vem estaremos aqui de novo, trazendo a galera de Poço Fundo mais uma vez.”.

Na Iron, o lugar mais alto do pódio e posto de campeão da categoria ficou com Ithalo Ronato Souza (#407), o piloto fez uma prova polida e recebeu a bandeirada em 2h36min19.300seg. Na segunda colocação, Vitor Freitas Cruz (#406) levou sua moto até a chegada em 2h48min39.330seg e John Wesley de Oliveira Ribeiro (#400) precisou de 4h40min52.400seg para completar a prova. Um momento especial na hora do pódio ficou por conta da entrega do troféu para o quarto colocado, Enzo Zanandrea (#420) Vidraçaria Cristal, o ex-piloto de motovelocidade e campeão das 500 Milhas, Antônio Carlos Zanandrea, pai de Enzo, entregou o prêmio pessoalmente. “Sou muito grato pelas dicas do meu pai, elas me ajudaram a conquistar esse lugar.”. O piloto de Sertaozinho (SP) fez o percurso em 4h50min10.970seg.

O segundo momento especial ficou por conta de Pierluigi Clini Poy (#215), um dos veteranos desta edição (piloto +60) e que serviu de inspiração para muitos ao esbanjar longevidade e preparo na prova. Com o entusiasmo que só os apaixonados por moto possuem, depois de cruzar a linha de chegada Poy disse: “andar de moto é um prazer e apesar dos desafios dessa prova pude me divertir muito, inclusive deixando alguns ‘garotinhos’ para trás, rsrs. Minha vida é em duas rodas e pretendo seguir assim enquanto o corpo aguentar.”. O piloto da equipe Scott/IGP competiu na categoria Bronze e terminou na 15ª colocação.

Depois de subir ao pódio, Rígor deu um recado para os pilotos novatos e aqueles que sentem vontade, mas ainda não experimentaram a competição. “Fico muito feliz com o carinho da galera, os novos pilotos que estão chegando e que dizem se espelhar em mim, saibam que eu me dedico ao esporte justamente por esses momentos, pra termos essa representatividade. Torço pra que saiam muitos novos pilotos em todas as categorias, quem sabe algum dia um deles poderá me substituir quando eu parar. Aconselho a todos, não desistam!! O meu começo foi complicado, todo começo é sempre difícil, mas aos poucos a gente consegue estrutura e a cada ano você vai melhorando sua pilotagem, conseguindo apoio… Deixo também meus parabéns pra organização, esse foi sem dúvida o evento mais profissional que participei em 2021. É muito bom a gente ver o nível do esporte aumentando dessa forma e poder fazer parte disso.”.

Nesta edição o Hard in Help contou com os seguintes apoiadores e patrocinadores: Espaço Bene Off Road, BMS Racing, loja Ride Again, Quebracava Motocross, Explorei Aventura / Minicross, LL Glasses e Drogaria Total. Entre os parceiros estratégicos, Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), Prefeitura Municipal de Socorro, Secretaria Municipal de Turismo (SETUR) e Socorro Destino Duas Rodas.

Resultado prova (05/12)

Categoria Gold

  • 1º Rígor Rico (#1) KTM Racing Team – 2h37min57.000seg
  • 2º Eduardo Furtado (#10) – 3h05min19.680seg
  • 3º Bruno Lima Ferreira (#3) Renegados do Hard – 3h38min36.000seg
  • 4º Wagner Aparecido de Almeida (#8) – 3h45min27.420seg
  • 5º Anderson Sartori (#2) – 5h00min00.000seg

Categoria Silver

  • 1º Rodrigo da Silva Dias (#113) Poço Fundo Team – 2h45min54.630seg
  • 2º Raul Guilherme Reijers (#114) Tranqueiras Racing – 3h29min24.990seg
  • 3º Pedro Pietro (#111) GuaruHard– 3h58min44.290seg
  • 4º Guilherme Pietro (#108) GuaruHard– 4h05min20.460seg
  • 5º Mauro Alberto da Silva (#103) – 4h07min58.060seg

Categoria Bronze

  • 1º Evandro Paiva Moreira Junior (#209) Sem Limite – 2h25min49.860seg
  • 2º Olavo Souza Sá (#227) Rôia Bull – 2h32min39.090seg
  • 3º Davi Vila (#232) – 2h43min41.050seg
  • 4º Mateus Bueno Cordoba (#213) Trilha da Laje – 2h48min04.210seg
  • 5º Josmar Vicente da Silva (#222) – 3h09min33.420seg

Categoria Iron

  • 1º Ithalo Ronato Souza (#407) – 2h36min19.300seg
  • 2º Vitor Freitas Cruz (#406) – 2h48min39.330seg
  • 3º John Wesley de Oliveira Ribeiro (#400) – 4h40min52.400seg
  • 4º Enzo Zanandrea (#420) Vidraçaria Cristal – 4h50min10.970seg
  • 5º Michel Wagemaker (#415) – 5h00min00.000seg

Categoria Nacional

  • 1º Ederson Vinicius de Souza (#311) Trilha da Laje – 2h39min54.610seg
  • 2º Junior Xavier (#315) Louco por Trilhas Classe A – 2h55min48.880seg
  • 3º Mikael Cristian (#313) – 3h09min41.560seg
  • 4º Gustavo Vilela Correia Pereira (#309) – 3h13min52.640seg
  • 5º Adriano Mendes de Oliveira Gonçalves (#310) – 3h15min30.500seg

*Resultado completo disponível no site chronusae.com.br/resultados

**Resultados podem ser alterados pela direção de prova sem aviso prévio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.