Harley-Davidson® do Brasil dá dicas de frenagem

Parar rapidamente, e com segurança, é muito mais importante que aceleração e potência. Confira as dicas que a Harley-Davidson® listou para você!

A maioria dos apaixonados por motocicletas, quando criança, provavelmente sonhava com velocidade sobre duas rodas, “voando” pela estrada ou até mesmo arrastando o joelho nas curvas fechadas de uma pista de corrida (não tente fazer isso em casa!). Mas qual seria o resultado dessa história caso não fosse possível parar com segurança? Com certeza não acabaria bem.

Parar com segurança pode ser a competência mais importante que você pode ter quando estiver pilotando. Atualmente, tecnologias avançadas — como freios ABS e o Sistema Reflex™ de Pilotagem Defensiva (RDRS) da Harley-Davidson — podem tornar isso mais fácil do que nunca. Mas técnicas e práticas fundamentais de frenagem continuam sendo fundamentais para qualquer motociclista.

M

MANTENHA DISTÂNCIA
Uma das melhores coisas que você pode fazer quando se trata de parar é ter certeza de que não precisará frear mais repentinamente do que o necessário. Para isso, é preciso manter a distância adequada do veículo à sua frente. Lembre-se, a distância de parada inclui o tempo e a distância de que você precisa para identificar e reagir ao que pode acontecer. Manter uma distância mínima de dois segundos atrás do veículo à sua frente irá minimizar a necessidade de frear com mais força do que você gostaria.

PARE EM LINHA RETA
Considerando-se que todas as condições sejam iguais, a maneira mais segura de parar é em linha reta, em uma pista lisa e seca. Então vamos começar por aí. Para uma parada básica que não seja de emergência, mantenha sua motocicleta na posição mais vertical possível e acione os dois freios de forma suave e controlada. Acione a embreagem e reduza a marcha conforme for desacelerando, de modo a engatar a primeira marcha no momento em que você parar.

Lembre-se de manter a cabeça erguida e os olhos apontados para a estrada à sua frente. Pode ser tentador olhar para baixo, para a frente da sua motocicleta ou logo à frente do pneu dianteiro. Mas isso pode fazer com que você se desvie do seu curso ou, até mesmo, perca o equilíbrio. Manter os olhos focados bem à sua frente ajudará a manter tudo nos eixos.

Além disso, lembre-se de não ter medo do freio dianteiro, que fornece cerca de 70% do seu poder de parada. Se os seus pneus estiverem em boas condições e a pista estiver seca, você poderá aplicar muita força de frenagem sem correr o risco de perder a tração.

Para reduzir bastante a velocidade sem usar os freios, você também pode usar o que costumamos chamar de “freio motor”, o que significa, simplesmente, deixar que a resistência do motor desacelere sua motocicleta. Faça isso acionando a embreagem e reduzindo as marchas. Quando você soltar a embreagem, o motor irá girar e sua motocicleta irá desacelerar naturalmente. Mas não reduza mais de uma marcha de cada vez, pois o efeito poderá ser muito repentino e intenso.

Por fim, lembre-se de que parar em uma curva muda tudo (falaremos sobre isso mais adiante). Se possível, endireite sua motocicleta antes de aplicar os freios.

QUANDO AGIR COM CAUTELA
Quando as condições estiverem abaixo das ideais, é preciso ter cuidado extra.

  • Condições da estrada: pista molhada, óleo no asfalto, superfície áspera, detritos e outros fatores podem comprometer sua capacidade de parar. Aumente sua distância do veículo à sua frente e pare mais gradualmente nessas situações. Evite acionar os freios repentinamente, pois seus pneus ficarão mais propensos a travar e perder a tração quando a pista ficar escorregadia.
  • Cargas pesadas: quando estiver transportando muito equipamento ou pilotando com um passageiro, o peso extra aumentará seu tempo e distância de parada. Novamente, aumente a distância entre sua motocicleta e o veículo à sua frente e reserve mais tempo e espaço para frear.
  • Pneus carecas, freios ruins: para obter melhores resultados em quaisquer condições, certifique-se de que seus freios estão em dia com a manutenção e seus pneus com a banda de rodagem adequada. Pastilhas de freio gastas e pneus carecas são a receita ideal para uma frenagem desastrosa.

EM CASO DE EMERGÊNCIA
Mesmo que você seja um motociclista cuidadoso, às vezes pode ser necessário fazer uma parada de emergência repentina. A regra número 1 é: “Não entre em pânico!” Acionar os dois freios com a maior força possível não é a coisa certa a se fazer (para os freios ABS as regras são diferentes).

Em vez disso, acione ambos os freios com suavidade e firmeza. Se a roda traseira travar, não solte o freio traseiro. Mantenha a motocicleta totalmente na vertical e apontada em linha reta para “superar a crise” e libere o freio traseiro gradualmente para recuperar a tração. Por outro lado, se a roda dianteira travar, solte o freio imediatamente e acione-o novamente. Uma roda dianteira travada pode provocar uma queda rapidamente.

Mesmo depois que a motocicleta parar você ainda pode estar correndo risco. Verifique imediatamente seus espelhos para ver o que está acontecendo atrás de você e esteja preparado para acelerar e sair do caminho. Além disso, tenha em mente que parar mais rápido do que o necessário no trânsito pode ser perigoso. Não conte com o reflexo do motorista atrás de você para respeitar a distância como você respeita.

CURVAS À SUA FRENTE
Parar em linha reta é uma coisa, mas parar em uma curva requer atenção extra. Frear e fazer a curva ao mesmo tempo demanda maior esforço da tração dos seus pneus. Ou seja, parte da sua capacidade de “aderência” é usada para impedir que a motocicleta escorregue para o lado, deixando menos aderência disponível para ajudá-lo a parar. Evite frear em uma curva sempre que possível — ou, se sua velocidade e espaço permitirem, endireite a motocicleta dentro da curva antes de frear.

Caso seja necessário parar em uma curva, o mais importante é não parar nem desacelerar mais rapidamente do que preciso. Acione os dois freios suavemente para diminuir a velocidade conforme você faz a curva.

Tenha em mente que as leis da física farão com que a motocicleta queira “se levantar” enquanto você desacelera. Portanto, pode ser necessário aplicar um pouco mais de pressão ao virar o lado de dentro do guidão (lembre-se dos seus princípios de contraesterço) à medida que você reduz a velocidade para manter a motocicleta na linha desejada.

Finalmente — e isso é importante — lembre-se de endireitar a motocicleta para deixá-la na vertical pouco antes de parar completamente. Se estiver inclinado quando parar, você poderá muito bem acabar beijando o chão ao invés de ficar radiante de orgulho por sua parada lindamente controlada em uma curva.

REPITA CONFORME NECESSÁRIO
Essas habilidades são fáceis de praticar, então localize um bom estacionamento vazio para fazê-lo sozinho antes de ser obrigado a experimentá-las no trânsito. E lembre-se de que cada motocicleta poderá passar uma sensação um pouco diferente. Se comprou sua motocicleta recentemente, reserve algum tempo para se acostumar com a sensação de como ela para antes de precisar testá-la no mundo real. Vale ressaltar a importância de se realizar manutenções periódicas e preventivas em uma concessionária Harley-Davidson autorizada.

As motocicletas da Harley-Davidson do Brasil estão disponíveis para um exclusivo Test Ride em toda a rede de concessionárias autorizadas da marca no País, de acordo com a disponibilidade dos modelos na rede e seguindo as recomendações dos governos estaduais e municipais em relação aos cuidados com a saúde. Para registrar seu interesse, acesse o site https://testrides.harley-davidson.com/pt_BR e inscreva-se. Encontre a loja Harley-Davidson mais próxima em https://www.harley-davidson.com/br/pt/tools/find-a-dealer.html. Confira as ofertas do mês em https://www.harley-davidson.com/br/pt/tools/offers.html.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *