Kawasaki Z900 RS Café combina estilo clássico e tecnologia de ponta

Texto: Gui Foster (@duasrodaspelomundo)| Fotos: Gui Foster e Kadu Pinheiro (@kadupinheiro_roadpics)

As motocicletas com design clássico e tecnologia de ponta estão cada vez mais populares. Trata-se de uma combinação perfeita para quem busca um visual retrô mas com tudo que pode ser encontrado nas motos mais modernas. Tive a oportunidade de fazer uma imersão na Kawasaki e testei três motos de diferentes estilos fabricadas pela montadora japonesa.

A experiência começou pela Z900 RS Café, uma máquina que soma todas as características de um clássico, cujo visual homenageia a lendária “Z1 Super Four” de 1972, com a esportividade esperada de uma moto Kawasaki. Agressividade que começa, aliás, pelo motor de quatro cilindros em linha, 948cc e refrigeração líquida. Atenção ao incrível ronco, que instiga a acelerar! Só cuidado para as multas não chegarem na sequência.

A cor do modelo que testei era o verde clássico da Kawasaki. A versão atual se chama Phantom Blue e é uma mistura de azul com cinza. Desde o primeiro instante, a moto chama a atenção! Começando por sua carenagem característica de uma café racer e continuando em cada detalhe, como o escapamento escovado que emite o som de uma verdadeira sinfonia de quatro cilindros. Em cima da moto, o painel é o destaque: mostra todas as informações de que o piloto precisa, como velocidade, RPM, nível do tanque de combustível, marcha, controle de tração e muito mais. O banco, também no estilo café racer, é confortável o suficiente para uma viagem.

Com um coração capaz de gerar 109 cavalos e 9,7kgf.m de torque, são necessários um ótimo controle de tração e um sistema de freio bem eficiente para segurar toda essa potência. O sistema de controle de tração da Kawasaki conta com três diferentes modos. Como era minha primeira experiência com a linha Z900, optei por sempre utilizar o modo de maior assistência. Na hora da frenagem, o sistema de freios, com ABS de duas pinças na dianteira, de montagem radial com 4 pistões e discos de 300mm, transmite segurança.

Ainda em relação aos itens de alta performance, o garfo invertido é equipado com molas reguláveis tanto na compressão como na pré-carga. A suspensão traseira monoamortecida também é regulável. Dessa maneira, é possível ajustar a moto tanto para um Track Day como para um dia de passeio. A embreagem assistida e deslizante é outro item fundamental para gerar maior controle desse monstro, impendido que a roda traseira trave na descida de marcha.

Além dos aspectos técnicos, vamos ao que interessa: a pilotagem! Rodei 612 quilômetros de pura diversão com a Z900RS Café. Para realmente testá-la em diferentes circunstâncias, fiz percursos diferentes. Em um dia, andei pelo litoral de São Paulo, pegando um mix de estradas e serras. No outro, fiz o clássico teste da Estrada dos Romeiros para ver como essa máquina se comporta nas curvas. Para finalizar, também andei um pouco pela cidade.

Na Estrada

Devido à posição de pilotagem mais agressiva, característica marcante no estilo café racer, fiquei um pouco cansado ao rodar por estradas de baixa velocidade. Como não havia o “auxílio” do vento para segurar o corpo, acabei forçando um pouco mais os músculos do abdômen e os inferiores das costas. Já em rodovias de alta velocidade, isso não foi um problema e pude rodar tranquilamente por diversos quilômetros. Vale lembrar que um trabalho específico de fortalecimento nesses grupos de músculos irá ajudar muito na pilotagem. Para aqueles atentos ao consumo de gasolina, a moto tem um indicador de modo econômico. O único momento em que ele acendeu durante o meu teste foi na estrada.

Nas curvas

Quem segue meu trabalho sabe que minha parte favorita em qualquer percurso são as curvas. Nesse quesito, a Z900 RS Café brilha! A ciclística da moto é perfeita para os trechos sinuosos. Um dos fatores mais positivos é a agilidade para encarar qualquer tipo de curva. Pilotei na serra da Mogi-Bertioga e na Estrada dos Romeiros para testar a capacidade em curvas e, sem dúvida alguma, posso dizer que foi o ponto mais alto do teste. Toda a tecnologia embarcada na moto me deixou muito seguro nas curvas e pude me divertir com tranquilidade. Se, assim como eu, você é um adepto das curvas, a Z900 RS Café não vai te decepcionar.

Na cidade

Apesar de não ser uma moto feita para rodar exclusivamente no trânsito de uma metrópole, consegui trafegar com ela sem problemas em São Paulo, até na hora do rush. A agilidade e a ótima frenagem foram pontos positivos para enfrentar o caos da capital paulista. No entanto, fique atento à suspensão. Por se tratar de uma moto esportiva, ela é um pouco mais dura, o que pode gerar mais desconforto em nossas ruas esburacadas.

Customização

Na minha opinião, ela tem um visual fenomenal e não é necessária nenhuma customização! A exceção são os possíveis donos que procuram por mais performance. Nesse caso, uma ponteira ou um sistema de escapamento atenderia a todas as necessidades. 

Considerações finais

A Z900RS Café é uma moto perfeita para quem busca um estilo vintage sem abrir mão da tecnologia de ponta. É um modelo extremamente divertido, principalmente para quem gosta de se aventurar nas curvas. Por conta da potência, não recomendo para quem está iniciando no motociclismo. Trata-se de uma moto ideal para quem já tem um pouco mais de experiência em duas rodas – tanto para aquele piloto que vem das motos esportivas e busca estilo sem perder performance, como para o dono de uma custom que procura se divertir um pouco mais nos trechos sinuosos. Qualquer que seja o seu passado motociclístico, uma coisa é certa: você irá se divertir com a Z90RS Café.

Ficha técnica

Preço Sugerido (01/2021) – R$52,990.00

Tecnologia:

  • Embreagem assistida e deslizante
  • Válvulas de aceleração dupla
  • Indicador de pilotagem econômica
  • Controle de tração com 3 modos
  • Suspensão Back-link Horizontal

Motor e Transmissão:

  • Potência máxima 109 cv
  • Torque máximo 9,7 kgf
  • Motor 4 cilindros DOHC de 948cc
  • Transmissão de 6 marchas
  • Embreagem multidisco, em banho de óleo
  • Sistema de acionamento – corrente de transmissão

Dimensões:

  • Entre eixos 1,470 mm
  • Altura mínima do solo 130mm
  • Altura do assento 800mm
  • Comprimento total 2,100mm
  • Largura total 865 mm
  • Altura total 1,150 mm
  • Peso em ordem de marcha 215 kg
  • Capacidade 17 litros
  • Pneu dianteiro 120/70ZR17 M/C
  • Pneu traseiro 180/55ZR17 M/C
  • Suspensão dianteira com garfo invertido regulável (10 ajustes de compressão e 12 de retorno)
  • Suspensão traseira monoamortecida regulável.

Vídeo do review:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *