Street Cup a nova café racer da Triumph

nome vem dos clubes de corrida, a inspiração da safra street racer e a proposta, embora urbana, deixa um gostinho de esportividade na boca. Com a nova Street Cup, a Triumph amplia sua linha de clássicas no Brasil – que já contava com as  Street Twin, Thruxton R e com as Bonneville T120 e T120 Black.

Montada em Manaus, a Street Cup chega às concessionárias a partir da próxima segunda-feira (20) por R$ 41.990. Ela é irmã da Street Twin, mas vem pronta para ser customizada e, mesmo original, entrega uma dose extra de estilo.

No visual, a Street Cup destaca-se pela pintura em dois tons, rodas fundidas com faixas decorativas, para-brisa de corrida e assento tipo concha com capa monoposto removível inspirada no estilo café racer. É possível retirá-la e utilizar o assento do garupa, são apenas dois parafusos de fixação, mesmo assim, o acesso não é dos mais fáceis. Os espelhos retrovisores do tipo “end bar”, nas pontas do guidão, complementam o estilo e oferecem boa visualização.

Comparada à Street Twin, a diferença mais evidente é a posição de guiar. O guidão rebaixado, no estilo “ace”, obriga o piloto a curvar-se mais para frente. É uma posição menos confortável que a da Twin – e que não chega a ser desconfortável – mas na Cup é o estilo que fala mais alto. A altura do assento (780 mm) é ótima para pilotos que “precisam” colocar os pés no chão para se sentirem seguros.

No mais, os escapamentos são mais mais curtos, têm a parte central com cobertura em preto e ponteira em aço inoxidável, e o painel de instrumentos possui conta-giros analógico – há duas pequenas telas digitais, nas quais estão informações como marcha engatada, nível de combustível, relógio, ajustes do controle de tração, consumo e autonomia. Falando nisso, com o tanque cheio (12 litros) o piloto roda aproximada de 320 quilômetros e o consumo estimado é de 26,7 km/l.

O motor bicilíndrico de 856 cm³ refrigerado a líquido é o mesmo da nova Street Twin, gera 55 cv a 5.900 rpm. O torque é um dos principais atributos deste motor, são 8,16 kgf.m que aparecem a 3.200 rpm. Mesmo quando estamos em quarta marcha e vamos reduzindo a velocidade, sentimos o motor ressuscitar com um simples giro na manopla do acelerador eletrônico, sem necessidade de redução de marcha. A embreagem é deslizante e o câmbio de cinco velocidades.Como na Twin, uma sexta marcha cairia bem ao modelo.

Herdada de sua irmã, a boa ciclística é um ponto alto. No chassi, o ângulo de cáster foi reduzido de 25,1° para 24,3°, e isso deixou as mudanças de direção mais rápidas. As suspensões absorvem bem os impactos. A “suspa” traseira, embora mantenha os mesmos 120 mm de curso, está mais longa e isso deixou a traseira elevada, aumentando também o ângulo de inclinação dianteiro.

O cuidado no acabamento está nos detalhes: no corpo do acelerador com acabamento em alumínio, na tubulação com “catalisador oculto”, nos cabeçotes escovados, e nos protetores de garfo esportivos. De série, ela vem com freios ABS com duas pinças Nissin deslizantes axiais de dois pistões e disco flutuante de 310 mm, além de pneus Pirelli Phantom Sportscomp, especialmente desenvolvidos para a família Bonneville.

Segundo a Triumph, esta é uma moto para ser customizada, por isso a marca vende acessórios não só de estilo e conforto, mas também de desempenho, como a suspensão traseira Piggy Back da Fox totalmente ajustável (R$ 3.790) e os silenciadores de encaixe Vance & Hines (R$ 7.490). Ficou caro? A marca oferece mais de 120 produtos para todos os bolsos, mas para não pesar tanto no bolso, compensa com um intervalo de manutenção estendido de 16.000 km

A Street Cup é oferecida nas cores Racing Yellow/Silver Ice (com revestimento interno em preto aplicado à mão e riscas Racing Yellow nas rodas) e Jet Black/Silver Ice (com revestimento interno dourado aplicado à mão e riscas douradas nas rodas).

Tanto nos “retões”, como nas estradas sinuosas, a Street Cup pode ser viciante como um bom café. Dizem mesmo que a cafeína, quando cai na corrente sanguínea, proporciona sensação de bem-estar, diminui a fadiga e deixa a gente em estado de alerta. Vai recusar uma dose?

Ficha técnica

Motor: Arrefecido a líquido, 8 válvulas, duplo paralelo com virabrequim de 270°
Cilindrada: 900 cc
Potência: 55 cv @ 5.900 rpm
Torque: 8,18 kgf.m
Transmissão: 5 marchas, embreagem de discos múltiplos banhada a óleo
Quadro: berço de aço tubular
Rodas e pneus (D/T): Liga de alumínio fundido, 10 raios, 100/90 R18 / 150/70 R17
Suspensão dianteira: Garfo Kayaba 41 m, curso de 120 mm
Suspensão traseira: Twin shock Kayaba com ajuste de pré-carga, curso de 120 mm
Freios: Disco com pinça flutuante Nissin de 2 pistões, ABS
Dimensões (C x L x A): 2.090 mm x 740 mm x 1.105 mm
Altura do assento: 780 mm
Distância entre-eixos: 1.435 mm
Peso seco: 200 kg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *