A marca retrô Royal Enfield chega ao Brasil com 3 motos de média cilindrada

A centenária fabricante de motos Royal Enfield vai começar sua operação no Brasil na última semana deste mês, com a inauguração de uma loja em São Paulo. O G1 apurou que os primeiros modelos a chegarem, todos importados da Índia, são: Bullet, Classic e Continental GT.

A centenária fabricante de motos Royal Enfield vai começar sua operação no Brasil na última semana deste mês, com a inauguração de uma loja em São Paulo. O G1 apurou que os primeiros modelos a chegarem, todos importados da Índia, são: Bullet, Classic e Continental GT.

Vamos apostar em uma faixa de segmento pouco explorada no Brasil”, disse Arun Gopal, diretor de negócios internacionais da empresa.

Especializada em motos com visual clássico, a empresa atua em uma cilindrada com poucas opções no Brasil: a de motores de 500 cc. A Honda é uma que tem participação com a sua família CB 500, mas são motos com “cara” mais moderna.

Chegada ao Brasil

Até 2015, as motos da marca britânica eram vendidas por um importador local. Agora, a empresa controlada atualmente pela indiana Eicher Motors começa a operar oficialmente no mercado brasileiro com uma subsidiária local, em plena crise nas vendas de motos em geral.

“Acreditamos muito no Brasil, sabemos que uma hora o mercado vai retomar”, afirma Arun Gopal.

A loja será aberta na semana do dia 24, na região do Ibirapuera. No comando da concessionária estão os irmãos Raul Fernandes Jr. e Maurício Fernandes, que já trabalham com lojas de BMW e Triumph.

Justamente nestes momentos (de crise) surgem nova oportunidades, e acreditamos muito neste nicho de motos clássicas. E também porque serão produtos acessíveis”, explica Raul Fernandes Jr.

Os preços só serão revelados na próxima quinta-feira (20), quando ocorrerá a apresentação oficial da empresa no país.

Conheça os modelos

 

Classic 500
  • Regular – R$ 19.900
  • Regular ABS – R$ 20.900
  • Desert Storm, Squadron Blue e Battle Green – R$ 21.000
  • Desert Storm, Squadron Blue e Battle Green ABS – R$ 22.000

Modelo adota um visual bem clássico e possui apenas assento para o motociclista. Seu motor é de 1 cilindro e 499 cc, com injeção eletrônica, e rende 27,2 cavalos em números de desempenho divulgados na Índia. As rodas são de 19 polegadas, na dianteira, e 18 polegadas, na traseira. Seu peso total é de 194 kg, para um tanque de 13,5 litros.

  • Motor 499 cc e 1 cilindro
  • Injeção eletrônica
  • Refrigerado a ar
  • 27,2 cavalos de potência
  • 4,21 kgfm de torque
  • 5 marchas
  • Partida elétrica e pedal
  • 195 kg
  • Tanque de 13,5 litros

Bullet 500

A partir de: R$ 18.900

 

Bullet 500

Esse modelo é considerado a moto em produção mais antiga da história, com a fabricação iniciada em 1931. O motor é o mesmo da Classic e também possui rodas de 19 polegadas, na dianteira, e 18 polegadas, na traseira. O peso também é de 194 kg, para um tanque de 13,5 litros.

  • Motor 499 cc e 1 cilindro
  • Injeção eletrônica
  • Refrigerado a ar
  • 27,2 cavalos de potência
  • 4,21 kgfm de torque
  • 5 marchas
  • Partida elétrica e pedal
  • 195 kg
  • Tanque de 13,5 litros

Continental GT

  • GT: R$ 23.000
  • GT ABS: R$ 24.500

A Continetal GT é a mais moderna da linha, mas também não deixa de adotar um visual clássico, neste caso, mais esportivo e no estilo “café-racer”. O motor também é diferente, rendendo 29,1 cavalos de potência, com 1 cilindro e 535 cc de cilindrada. As rodas são de 18 polegadas em ambos os eixos.

  • Motor 535 cc e 1 cilindro
  • Injeção eletrônica
  • Refrigerado a ar
  • 29,1cavalos de potência
  • 4,5 kgfm de torque
  • 5 marchas
  • Partida elétrica e pedal
  • 184 kg
  • Tanque de 13,5 litros

Motos são importadas da Índia

Em um primeiro momento, as motos chegam ao Brasil importadas da Índia. “Por enquanto, não estamos planejando a produção no Brasil, vamos com cautela”, explica o diretor Arun.

A Royal Enfield começou a produzir motos em 1901, no Reino Unido, e depois de fechar as instalações britânicas, em 1967, seguiu apenas com a produção na Índia.

No ano fiscal de 2016/17, foram feitas cerca de 660 mil motos. No entanto, apesar da grande produção e de sua história centenária, a marca não é muito conhecida no Brasil.

“Vamos fazer um grande trabalho de marketing e a questão do custo-benefício será atraente”, afirma Raul Fernandes Jr., sócio da Royal Enfield SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *