Falando sobre Injeção-Eletrônica, Afinação de Motores e Dinamômetro

Texto: Dotz (@dotzalley) Fotos: Gui Foster (@duasrodaspelomundo) e Kadu Pinheiro (@kadupinheiro_roadpics)

O maior problema das nossas motos, é que elas vêm com o programa de gerenciamento da Injeção Eletrônica, muito “restrito”, para que elas sejam homologadas nas normas de emissões de poluentes. Ou seja, usam uma mistura de ar/combustível muito pobre (com pouco combustível). Isso faz com elas passem nos programas de emissões brasileiros, mas fiquem horríveis para rodar no nosso país tropical. A tendência é sempre piorar cada vez que colocamos algum acessório, como filtros, escapes esportivos, etc. Porém, este não é um problema somente nosso, sendo que, o mercado Americano desenvolveu produtos que podem minimizar ou solucionar esses problemas.

Abaixo, irei explicar sobre os “enganadores/enriquecedores” e os “tuners” para Injeção Eletrônica:

O que eu chamo de “enganadores”: equipamentos limitados à apenas aumentar a quantidade de combustível que vai para cada cilindro, o que ajuda a reduzir a temperatura de funcionamento da motocicleta. Eles fazem isso “enganando” o módulo e enviando sinais simulados para a injeção original. Estes equipamentos ficam instalados na motocicleta, pois sem eles ela volta ao original.

Vantagens: na maioria dos casos eles não vinculam com a moto, ou seja, podem ser retirados e utilizados em outras motocicletas, que possuam o mesmo sistema de injeção;

Desvantagens: por enganarem a injeção eletrônica da moto, são paliativos que no geral, deixam a desejar e não conseguem regular corretamente a motocicleta. Eles ficam ligados fisicamente à motocicleta, o que gera maus contatos nas ligações e pode apresentar problemas no funcionamento da motocicleta. Fora o preço que é muito alto, pelo que eles deixam de fazer;

Exemplos: Cobra, Power Comander, Fuel Pack.

“Tuners” (afinadores) de Injeção: aqui é onde eu estou em casa! São sistemas que modificam o Mapa da Injeção Eletrônica. Fazendo com que o novo mapa seja o ideal para sua motocicleta e para os acessórios que ela possui, como por exemplo, escape, filtro e comando de válvulas esportivos.

Vantagens: regula corretamente o sistema de injeção da moto, ou seja, gera um mapa perfeito para cada motocicleta. Isso permite que a moto rode mais fria, melhore o consumo e tenha o melhor desempenho possível;

Desvantagens: todos vinculam ao modulo da motocicleta, ou seja, não podem ser reutilizados em outras motos, mesmo que esta use o mesmo sistema de injeção. O custo é um pouco maior, porém, devido às adequações que eles nos permitem fazer, esse investimento é facilmente amortizado.

Tunner Technoresearch

Exemplos:  Mastertune (utilizado na Dyna que está no vídeo), Power Vision e atualmente, o Technoresearch (utilizado na Road Glide do vídeo, que faz a programação toda através do computador, bastando comprar a licença e ter o scanner, para seu uso). Há ainda os módulos reguláveis da ThunderMax e um equipamento da Vance&Hines chamado FP3 (que é contraproducente para os profissionais que sabem trabalhar o mapa da injeção-eletrônica).

A regulagem perfeita dos Tuners é obtida utilizando um Dinamômetro! Portanto vamos também falar um pouco sobre este equipamento fundamental para melhorar a performance de sua moto.

A primeira vez que um aparelho deste tipo apareceu na técnica de engenharia foi em 1719 – pela necessidade óbvia que as máquinas a vapor criaram. Com o passar do tempo foram evoluindo e ficando cada vez mais necessários para que os motores aumentassem cada vez mais sua eficiência. Não só em termos de potência, mas, também em termos de eficiência energética. Mais recentemente, também para garantir que os motores se tornassem mais limpos e eficientes.

Dinamômetro da Dotz Alley – Foto Gui Foster

A indústria automobilística tem no dinamômetro, talvez, a sua mais importante ferramenta para auxílio no desenvolvimento de motores. Você pode estar pensando que uma vez desenvolvido o motor de seu veículo, um dinamômetro tem pouca utilidade em sua vida. Mas, não é bem assim.

Atualmente, as Injeções Eletrônicas estão cada vez mais sofisticadas, por isso, um dinamômetro é essencial para você e sua motocicleta ou carro. Sofisticação exige controle e o dinamômetro encaixa-se perfeitamente nesse cenário.

Apesar de sua moto sair de fábrica “bem” regulada, esta é apenas razoável, definida em função do piloto mediano. Além disto significa que o motor de sua moto está funcionando bem abaixo do ideal. Assim, o proprietário pode não estar aproveitando seu veículo, como poderia, seja para um desempenho mais esportivo, mais econômico, mais frio, etc.

Dinamômetro da Dotz Alley

Um motor melhor adaptado às exigências de seu piloto irá ter maior durabilidade, desempenho, confiabilidade e claro, irá proporcionar maior prazer a ele. Você pode querer mais torque ou mais potência em determinado regime de giros, pode querer que o motor funcione de maneira mais suave ou mais vigorosa, etc.

Fora isto, com as exigências de emissões de gases, a mistura ar/combustível, utilizada pelas montadoras, está cada vez mais “pobre” e os motores passaram a esquentar muito, o que compromete sua durabilidade e confiabilidade e, claro, o conforto do piloto.

Por tudo isto, a utilização do dinamômetro auxilia na correção, com grande precisão, de problemas de funcionamento da motocicleta, além do diagnóstico rápido de problemas de operação de seu sistema.

Pouquíssimas oficinas, no Brasil, têm à sua disposição um dinamômetro e menos ainda, possuem profissionais habilitados a operá-los, com proficiência. Nós da DOTZ ALLEY estamos neste seleto grupo, podendo ajudar aos nossos clientes com nossos serviços e conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *