Flat Track, a modalidade que ganha cada vez mais força!

Quando se pensa numa corrida em pista de terra, provavelmente as motos Harley Davidson não são as primeiras a vir à mente. No entanto, as raízes da icônica marca norte-americana estão muito ligadas a este tipo de competição. Entre os diversos tipos de corrida em pista de terra, uma das que mais chamam a atenção é a Flat Track.

Trata-se de um circuito curto com duas curvas e duas retas opostas, podendo ser disputado em terra, asfalto, concreto, neve ou praticamente qualquer superfície que seja divertido correr e inclusive com motos no estilo custom. Com esta modalidade ganhando força no Brasil, novos eventos estão surgindo cada vez mais. No dia 6 de abril aconteceu a primeira edição do Flat Track Dirt Camp na pista Kalango Cego em Itupeva, um evento idealizado por Crys Miranda, da Garage Metallica. Um fator que contribuiu para o sucesso desta empreitada foi sua vasta experiência internacional com diversos tipos de corrida, como Cannonball, Hoolingan Racing e Flat Track, entre outras.

O evento lembrou muito os que são organizados nos EUA, com um ótimo BBQ e cerveja gelada servidos pela Lucky Friends, assim como a participação de um pessoal que aprecia o crescimento desta modalidade no Brasil. Outra característica semelhante e fundamental para a diversão foi a proximidade do público com a ação. Em outras palavras, a plateia fica muito próxima da pista, literalmente comendo poeira a cada passagem dos pilotos! 

As corridas foram divididas em 3 categorias: motos monocilíndricas (Estilo Cross), motos antigas e Super Hooligans, que incluía as Harley Davidsons atuais. Além das máquinas modificadas para a competição, os pilotos também usavam acessórios específicos para o Flat Track. Todos envergavam algum tipo de proteção: equipamentos semelhantes aos utilizados por pilotos de motocross e também uma chapa de ferro na bota esquerda. Com ela, eles podem apoiar o pé no chão, deslizando e controlando a moto com o contrapeso do corpo, o que, muitas vezes, dá a impressão de que a moto irá tombar, mas isto raramente acontece. A técnica e a habilidade dos pilotos ficam bastante evidentes nas curvas do circuito. 

Na categoria monocilíndricas, houve um mix de pilotos jovens e experientes, deixando claro que o futuro deste tipo de corrida está assegurado. Da tomada de tempo de cada piloto até a prova final da categoria, foi uma emoção atrás da outra!

Composta por motos com um número bem menor de modificações especificas para a corrida, a divisão clássica possuía verdadeiras relíquias do motociclismo. Talvez seja até possível encontrar uma destas máquinas em um passeio comum de fim de semana, algo que torna esta categoria mais interessante ainda. Os pilotos não desapontaram e a disputa da final foi acirrada desde a primeira volta até a bandeirada! O público vibrava com cada troca de posição! 

Quanto à categoria Super Hooligan, as motos eram em sua maioria modelo Sportster, da Harley Davidson. Porém, era perceptível que foram feitas diversas mudanças nas motos especialmente para este tipo de corrida. Os freios dianteiros foram removidos; o câmbio, modificado para somente disponibilizar a primeira marcha; seus pneus tradicionais foram substituídos por um tipo especial para o terreno; e, por último, foram retirados todos os componentes estéticos desnecessários. Com certeza, você não verá uma moto similar em seu passeio. 

Esta foi a categoria com o maior número de participantes e de etapas para definir os quatro finalistas! Eles não desapontaram e fizeram uma final memorável, que teve de tudo um pouco, desde uma pequena confusão na largada (veja o vídeo no final da matéria) e diversas trocas de posições até o Crys na garupa do vencedor com a bandeira quadriculada para uma volta de comemoração! Por falar em largada, esta é um show à parte em cada corrida! Como as motos estão próximas e a aderência na terra não é das melhores, existe sempre um contato entre os pilotos, que fazem um certo malabarismo para não caírem.   

Mesmo em se tratando de uma competição, ficou muito claro o nível de amizade e respeito entre os pilotos, que querem fazer a modalidade crescer o máximo possível. Com pistas em Sorocaba, Curitiba e Itupeva, o Flat Track, que já é muito popular em países como os EUA, vem ganhando cada vez mais força por aqui. A tendência é vermos um crescimento no número pilotos participantes e também motos de outras marcas além da Harley Davidson.

O evento foi de pura diversão tanto para os pilotos como para os espectadores. Sendo assim, espero que o sucesso seja ainda maior em sua próxima edição! Enquanto ela não acontece, também espero que a modalidade cresça ainda mais por aqui. Já existem no calendário outros eventos que incluem Flat Track como uma de suas atrações, alguns exemplos são o BMS Motorcycle (agosto), em Curitiba, e o Luckyfriends Rodeo (outubro), em Sorocaba.

O vídeo abaixo mostra um pequeno resumo do que foi este evento:

Texto e fotos: Gui Foster
Siga meu insta @duasrodaspelomundo

3 thoughts on “Flat Track, a modalidade que ganha cada vez mais força!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *