Pilotando a Ducati Monster 1200S

Texto e fotos: Gui Foster (@duasrodaspelomundo)

Já tive algumas experiências com os modelos da Ducati. No começo de 2020, avaliei a Monster 797 (veja aqui a avaliação da Monster 797) e, antes disto, em 2019, tive uma experiência com a 1200S no Festival Duas Rodas, em Interlagos. Mas ainda não havia feito o principal: pilotar o monstro de quase 150 cv na estrada, o seu habitat natural. Logo, agradeço a Ducati do Brasil por gentilmente me ceder a Monster 1200S, com a qual rodei um total de 909 km, e agora compartilho com vocês todas as minhas impressões.

Nos primeiros dias, rodei com a Monster exclusivamente pela cidade de São Paulo. Apesar de não ser seu ambiente natural, ela se saiu muito bem. Nessa parte do test-ride, utilizei o modo de pilotagem Urbano. Justo. Afinal, é uma moto muito potente, com um motor bicilíndrico de 1198 cilindradas capaz de produzir 147 cv e 12,6 kg.f de torque. Nessa configuração, a moto fica menos arisca, com a potência do motor reduzida, e os níveis dos controles (de tração, ABS, Ducati wheeling control, etc.) ficam no máximo.

Vale lembrar que é possível modificar todos os parâmetros de controle em cada modo de pilotagem, deixando a moto adequada à condução do proprietário. Claramente, o modelo é focado em alta performance, portanto, o conjunto de suspensão Öhlins é um pouco duro para as condições das ruas de São Paulo. Mas nada que impeça de se locomover. Por se tratar de uma moto extremamente ágil, trafeguei pelos corredores com segurança, mesmo em horário de pico. Como dica, é importante ficar atento aos movimentos do guidão, uma vez que a maioria dos retrovisores dos carros está na mesma altura. No geral, a moto da montadora italiana está aprovada para rodar na cidade.

Quando chegou a hora de testar toda a capacidade da Monster na estrada, fiz um bate e fica até Paraty (RJ). Confesso que tive certo receio de pegar a estrada por longas distâncias, já que o foco da moto é a performance, não o conforto. Depois de horas na estrada, debaixo de muita chuva (provavelmente uma das piores que já enfrentei de moto), pude constatar que meu pressentimento estava completamente errado. É possível, sim, viajar com essa moto.

No teste de estrada, utilizei o modo de pilotagem Touring. Somente quando a intensidade da chuva aumentou muito, troquei para o modo Urbano, diminuindo então a potência do motor e aumentando os níveis dos controles eletrônicos. Outra função que utilizei muito na estrada foi o quickshifter – apesar de não estar muito acostumado com essa funcionalidade, foi de fácil adaptação. O tanque de 16,5 litros tem uma boa autonomia e, dependendo da mão do piloto, pode rodar pouco mais de 200 km entre os abastecimentos. No meu teste, a média de consumo ficou por volta de 14 km/l. A única coisa que senti falta na estrada foi o piloto automático. Fora isso, a Monster 1200S está aprovada para viagens longas.

Como de costume com todas as motos que testo, tive que passar pela Estrada dos Romeiros. Até então, já havia pilotado na Rodovia dos Tamoios e na Serra de Paraty até Cunha. Portanto, sabia que a moto seria extremamente divertida nas curvas. E eu estava certo. A Monster 1200S nasceu para os trechos sinuosos! Todos os componentes, como sistema de suspensão Ölihns, freio Brembo com ABS de curva da Bosch e um motor que responde muito bem, tornam a experiência incrível. Nesse caso, utilizei bastante o modo de pilotagem Sport, em que a moto fica bem arisca, entregando a potência total do motor, e os níveis de controles permanecem bem reduzidos. Só fique atento pois, nessa configuração, a Monster te instiga acelerar.

Customização

A Monster 1200S já tem um estilo marcante. Portanto, não é necessária nenhuma customização extrema. Caso você queira sair do tradicional vermelho da Ducati, existe a opção Black. Independentemente da opção de cor escolhida, eu colocaria, no mínimo, uma ponteira. Se quiser melhorar ainda mais a performance e, principalmente, liberar todo o potencial sonoro dessa verdadeira sinfonia que é o motor bicilíndrico, o escapamento full Termignoni é a melhor opção. Se viagens de longa distância fizerem parte do seu repertório, recomendo alforjes laterais e uma bolsa de tanque para aumentar a capacidade de carga. Para finalizar, a Ducati oferece diversos acessórios decorativos para acrescentar um estilo extra a essa máquina.

Considerações finais

Um MONSTRO. Realmente a Ducati acertou no nome da moto. Nas curvas, ela brilha – sendo impossível não se divertir. Trata-se de uma ótima opção para quem já está acostumado com motos de alta performance, mesmo se forem de menor cilindrada, como a Monster 797. Sem dúvida, será um ótimo upgrade! Obviamente, não recomendo para quem está entrando no mundo das duas rodas, afinal, é um modelo que requer certa experiência para “domar” a máquina com segurança. Se você já tem a experiência necessária, a Ducati Monster 1200S é uma opção que vai te trazer diversão de sobra. Se estiver pensando em adquirir esse verdadeiro ícone, mas não tem certeza se irá rodar muito com ela, lembre-se de que o compartilhamento de motos da 4Ride é uma opção! Atualmente (abril de 2021), o preço sugerido é de R$ 89.990 (cota @4Ride de aproximadamente R$ 26.000) – (Saiba mais sobre a 4Ride aqui). Nos vemos na estrada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *